Cervejas do Rio para conferir no Mondial de la Bière

Fazia tempo que esse blog não era atualizado, mas é semana de Mondial de la Bière Rio e chegou a hora de falar um pouco do evento. Mas ao invés de simplesmente dar as informações básicas do evento que vocês já devem estar cansados de saber e que podem acessar na página dele, o post será sobre cervejas artesanais fluminenses para conferir.

Esse miniguia é um apanhado de sugestões, sem muita pretensão, baseado naquilo que chamou atenção entre os rótulos que as cervejarias do estado do Rio anunciaram para o festival entre os dias 4 e 8 de setembro. Afinal de contas, o Mondial é a oportunidade de conhecer novidades.

Sem mais delongas, vamos para as cervejas:

– Three Monkeys

Pra começar, um retorno. A Three Monkeys, que não apareceu em 2018, volta com algumas novidades que chamam atenção. A linha de Goses que a cervejaria levará para seu estande parece promissora, com inspiração na culinária. Serão 5 rótulos: Gazpacho, com tomate e picles de pepino, Al Mare, com ostras, tinta de lula e limão, Honey Dijon, com mostarda e mel, Shoyu, com wasabi e gengibre e Thai Curry, com especiarias e leite de coco.

As Imperial Stouts também devem valer uma conferida, em especial versão 2019 da Paranoid, com chocolate Quetzal.

Boomerang

Uma das novidades no festival será a cervejaria Boomerang, presente no estande do Beer Underground com mais um monte de marcas. Ainda não conheço, mas o lançamento deles no Mondial, a Monarca, uma Wee Heavy com rosquinha de coco, está entre as curiosidades.

Brewing2Go com D’Alage

A Brewing2Go também participará pela primeira vez e em seu extenso tap list o que chama atenção é a parceria com a D’Alage. Eles levarão para o estande a Monster Slap, uma American Barley Wine maturada com carvalho americano.

Matisse

A cervejaria de Niterói terá alguns rótulos já conhecidos no festival, mas o que parece mais interessante é seu lançamento, a Acquaforte, uma Belgian Tripel com amêndoa amarga.

Cevaderia

A Cevaderia participará com diversos rótulos, entre eles uma série de cervejas pra quem gosta de Imperial Stout. A Bouman terá três versões, a normal, uma que passou por barril de carvalho e a que despertou mais curiosidade, com cacau e pistache. A Belgian Ale Bruges também parece interessante, com versões em três barris: amburana, carvalho e jequitibá.

Hocus Pocus

A tradicional Hocus Pocus terá muitos rótulos já conhecidos e algumas curiosidades. Pra quem foi no Oceânica Dive In desse ano a Imperial Stout The Stoned Ape Theory, que leva chocolate e banana, não é novidade, mas garanto que vale conhecer se ainda não bebeu. A outra é a Derealization, uma West Coast IPA não filtrada. A julgar pelas outras IPAs da cervejaria, dá para apostar em uma ótima cerveja.

Enseada

A cervejaria Lagos, de Saquarema, conhecida por abrigar diversas ciganas, dessa vez lança sua marca própria no festival, a Enseada. São nove rótulos, mas o que se destacou no tap list são as Sour Lagers com Tangerina e Manjericão e a Sour Mojito. Outra curiosidade é a Melón Jamón, uma Lichtenhainer, estilo histórico alemão defumado e ácido, pouco produzido no Brasil.

Sundog

Por falar em cervejas históricas, não dá pra deixar a Sundog de fora. No Mondial eles lançarão a Trilogia Civilizações Antigas, que conta com a PICTII, versão da bebida celta Braggot feita com base de cerveja e hidromel, a Ode a Hesat, uma Ancient Ale egípcia parcialmente fermentada com leveduras selvagens propagadas pela areia saariana trazida do templo de Abu Simbel, no Egito, com adição de flor de camomila egípcia, gengibre, za’atar e figo, e Ode a Ninkasi, Ancient Ale suméria produzida com leveduras selvagens de tâmaras do atual Iraque, vinho de tâmaras, açafrão, mel e bappir.

OverHop

Como sempre a OverHop levará diversos rótulos para o festival, com muitas novidades. Entre as que mais chamam atenção está uma linha de quatro cervejas refermentadas com Brettanomyces. São três Farmhouse IPAs – Calm Like a Bomb, com maracujá e dry hopping de Mosaic, Stranger Yeasts, com dry hopping de Loral e Enigma e Stupid Mistake, com dry hopping de Citra e Galaxy –, e a Suddenly Brett, uma Wee Heavy que leva framboesa.

Wonderland

Novamente no Mondial a Wonderland terá uma série de Sours que parecem interessantes, além da versão envelhecida de sua ótima Porter. Entre as ácidas estão a Sour-Dee, com morango e goiaba, a Sour-Dum, com cupuaçu e cacau, e a Tweedles, que leva os ingredientes das outras duas. Já a Timeless in a Barrel é a Timeless Porter, que já leva caramelo e lactose, envelhecida em barris e com adição de ingredientes secretos.

Noi

A cervejaria de Niterói sempre leva grandes cervejas para o festival e costuma aparecer entre as medalhistas. Esse ano entre as novidades uma das que mais chamam atenção é a Selvaggio, uma Wild Ale que já chega premiada.

Confira o tap list divulgado pela organização do festival no link.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *