IPA com goiaba é a cerveja escolhida no BeerMatch, da Barco


Uma IPA com adição de goiaba foi a grande vencedora do sexto BeerMatch – Em busca da Brazilian IPA, concurso promovido pela Barco Brewers. A cerveja, bolada por sete amigos cariocas, será produzida pela cervejaria gaúcha e terá sua pré-estreia apenas em chope no Mondial de la Bière, que rola em outubro no Rio.

A final do concurso rolou no sábado, 5 de agosto, no Brewteco da Barra, e foi uma grande festa com muitas boas cervejas entre as sete finalistas. A escolhida, inscrita pelo cervejeiro caseiro Rafael Demôro, é uma cerveja de leve amargor, com protagonismo da goiaba, que se apresenta com intensidade no aroma e no sabor.

Segundo Frederico Bandeira e Eduardo Cabral, que fizeram parte do grupo vencedor, eles partiram de uma receita base de uma IPA e a testaram com três frutas brasileiras, goiaba, ciriguela e cupuaçu. “Todas as ideias a gente teve. De mate, açaí, café, tudo que remetesse ao Brasil. E no fim a gente acabou chegando na goiaba que foi o que mais se encaixou realmente numa IPA”, comentou Eduardo.

Buscar a brasilidade na cerveja foi o grande desafio proposto no BeerMatch. De acordo com Rafael Demôro, foram levadas características bem brasileiras, como calor, praia e alta drinkability, mas com personalidade. “Uma cerveja para beber num churrasco, na beira da praia, entre amigos. Fizemos uma cerveja limpa, com amargor que equilibrasse o doce da fruta”, explicou Rafael. Ele ainda ressalta que a ideia o remeteu a boas memórias. “Pessoalmente, fiquei feliz, sempre gostei de roubar as goiabas da casa da minha avó. Isso me remeteu a boas lembranças de infância”.

Feedback ajudou

A cerveja do grupo foi uma das mais faladas no primeiro dia de seleção das finalistas, que ocorreu em junho, tanto que circulou por várias mesas avaliadoras. E o feedback recebido, tanto dos elogios quanto das críticas, foram levados em conta para fechar a receita vencedora. “Uma das coisas que falaram (no dia da avaliação) foi ‘a cerveja não tem muito amargor, e isso tá fugindo da característica da IPA’. E a gente tentou aumentar um pouco”, comentou Frederico.

Pouco mais de um ano nas panelas

Uma curiosidade sobre os vencedores é que eles produzem cerveja caseira há pouco mais de um ano. O grupo de sete amigos, formado quando ainda estavam na faculdade, fez o curso de produção de Leonardo Botto em março de 2016. Nesse tempo eles passaram a fazer parte de grupos de cervejeiros, como as confrarias de Cervejeiros Caseiros da Zona Sul e da Barra e Recreio (CCZS e CCBR, respectivamente), para trocar ideias e melhorarem suas receitas.

E participar do BeerMatch, de acordo com Rafael, também teve muito mais o objetivo de receber críticas de jurados ligados ao meio cervejeiro do que vencer o concurso. “Mal conseguimos acreditar que fomos para a final. E sermos escolhidos como a campeã entre sete excelentes cervejas por público de aproximadamente 150 pessoas é uma grande realização”, disse Rafael.

Criatividade carioca em destaque

A realização do BeerMatch VI foi um desafio também para a Barco, que pela primeira vez promoveu o concurso fora do Rio Grande do Sul e de cara recebeu um contingente grande de inscrições. Foram 120 inscritos e 60 amostras enviadas, com variações de frutas, madeira, especiarias, entre outros ingredientes, e as sete finalistas agradaram. “O cervejeiro carioca se provou um cara muito criativo, muito conectado com o Brasil”, analisou Christian Piva, sócio e gestor de marketing da cervejaria.

Em relação a vencedora, ele comenta que já se imaginava que haveriam cervejas com frutas, mas lembrou que desde a etapa de seleção das finalistas a com goiaba chamou atenção. “Deu muito match da introdução da goiaba com os lúpulos que ele (o cervejeiro) usou. Não ficou uma cerveja doce, ela não ficou uma cerveja amarga e ela ficou uma cerveja com drinkability e com muito aroma. E ela representa bem o Brasil”.

Agora a Barco corre para a fábrica, com o cervejeiro caseiro responsável pela receita, para produzir o primeiro lote da sua Brazilian IPA. O pré-lançamento apenas em chope será no Mondial de la Bière Rio, entre os dias 11 e 15 de outubro, onde ela já terá rótulo e nome. O objetivo da cervejaria é conseguir lança-la comercialmente em março de 2018, no Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau.

Categorias:Cerveja artesanal, Cervejas brasileiras, Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: